Home » Mutações: O silêncio e a prosa do mundo by Adauto Novaes (organização)
Mutações: O silêncio e a prosa do mundo Adauto Novaes (organização)

Mutações: O silêncio e a prosa do mundo

Adauto Novaes (organização)

Published 2014
ISBN :
528 pages
Enter the sum

 About the Book 

Neste sétimo livro da série Mutações, os ensaios tratam do conceito de fala, que dá forma e expressão às reflexões e paixões, e do silêncio diante do grande volume de informações produzidas atualmente. O silêncio é pensado como forma de transgressãoMoreNeste sétimo livro da série Mutações, os ensaios tratam do conceito de fala, que dá forma e expressão às reflexões e paixões, e do silêncio diante do grande volume de informações produzidas atualmente. O silêncio é pensado como forma de transgressão e a prosa como trabalho de criação de obras de arte e do pensamento. Assim, em um contexto dialético, são abordadas interações entre fala e sentidos, imaginação e silêncio, música e silêncio- a fala poética- a origem da fala- o lugar comum- o discurso político- a mentira- as transformações silenciosas, entre outras.Para Adauto Novaes e o afiado time de ensaístas reunidos por ele, conhecer o sentido da fala constitui uma experiência única. Se formamos nossas primeiras ideias a partir de signos e palavras (disposição infantil do espírito) - e isso não quer dizer pouca coisa -, corremos também um risco desde o início da nossa existência: muitas vezes usamos signos e palavras sem pensar no seu verdadeiro sentido, afirma provocativamente o organizador da obra.Nenhum espírito pode ficar indiferente à tagarelice do mundo. Que fenômeno é este, tão presente na experiência de cada um de nós e ao mesmo tempo tão distante de nossas especulações? O que é perturbador, angustiante, para muitos dos autores reunidos nesta obra é que os temas do silêncio e da prosa nem sempre são objeto de reflexão. Em geral, os teóricos consideram que é preciso dar atenção a questões mais elevadas, como o destino da humanidade, as normas morais, os ideais políticos, os problemas da existência em geral, sem se dar conta de que, muitas vezes, circulam em puras abstrações ao se recusar a ir às coisas do mundo. Assim, o fenômeno da fala passa despercebido se não ficarmos atentos aos contornos sinuosos da nova realidade.Este livro aproxima-se, pelo esforço conjunto, da construção indefinida de um pensamento sobre as grandes transformações do mundo hoje- entre elas, as ideias de silêncio e prosa. Fala-se tanto que nem tempo se tem para pensar. Damos com muita facilidade e até certo desprezo um adeus às palavras de maneira tão tirânica e tão natural que nem conseguimos colher as imagens que elas nos propõem. Sem o tempo do pensamento, a simplicidade das palavras e a riqueza dos sentidos desaparecem no fluxo tagarela. Sem a experiência do silêncio não se entende o que se diz.Textos contidos nesta obra:- O silêncio e a prosa do mundo (Adauto Novaes)- O silêncio é a ausência de quê? (Francis Wolff)- A escola do silêncio: acídia e contemplação (Olgária Matos)- Por horas mais silenciosas (Oswaldo Giacóia Junior)- O silêncio público (Jean-Pierre Dupuy)- O discurso político (Eugène Enriquez)- O silêncio que resta (Pedro Duarte)- O inaudível: uma política do silêncio (David Lapoujade)- O rumor da mídia (Eugênio Bucci)- Fazer silêncio (Elie During)- O risco do fracasso (Franklin Leopoldo e Silva)- As formas do silêncio (Newton Bignotto)- Silêncios da História: experiência, acontecimento, narração (Marcelo Jasmin)- Silêncio do torturado, loquacidade do torturador (Marcelo Coelho)- O silêncio e sua representação (Renato Lessa)- Os recursos éticos do silêncio e o ensinamento sem palavras (wu yan zhi jiao) no taoismo antigo (Romain Graziani)- Fazer calar e fazer falar o sexo (Frédéric Gros)- O silêncio dos amante e, mais particularmente, das mulheres... (Pascal Dibie)- A poesia entre o silêncio e a prosa do mundo (Antonio Cicero)- Sublime por atrofia (Vladimir Safatle)- O silêncio e a sombra (Guilherme Wisnik)- A inteligência do silêncio (Jorge Coli)- A descoberta da linguagem (Francisco Bosco)- O silêncio é mais que o silêncio (João Carlos Salles)- O silêncio de antes (Luiz Alberto Oliveira)